quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

longe do meu domínio

Vai, me belisca, me xinga, grita para mim que eu sou burra mesmo e que toda essa coisa de amor não existe. Que eu não sou nem um pouco madura e que amor é coisa para fracos, que eu não sei nada da vida e que tenho que continuar aprendendo com esses casos tanto faz e essas ficadas de vez em quando, e esses caras e esses beijos sem compromissos, blablabla. Grita. Enfia isso tudo na minha cabeça. Diz que eu preciso aprender, e que meu orgulho tem que vir sim na frente. No final eu vou perceber que nada disso entra na minha cabeça. Nem mesmo aos gritos. E se eu gritar para você? Se eu gritar que não adianta você negar, se eu gritar que eu quero saber qual é a verdade, se você sente ou não, se você ri como eu rio, se você pensa como eu penso, se você sente essa mesma vontade, esse mesmo desejo. E se eu gritar que não adianta, talvez o destino tenha te colocado no meu caminho de algum jeito? Vem cá, você acha que é tudo uma coincidência? Que foi por um acaso? Acaso nada, é destino. Eu quero mesmo gritar e fazer tudo entrar na sua cabeça: não adianta, eu quero tudo que envolva você. Todas as suas manias, e as suas crises, tudo. Vai dizer que você também não quer? Que você nem sente vontade de se entregar para mim e dar fim nessa coisa toda? Eu não vou te machucar, então para quê fugir? Me diz para que fugir de tudo isso. Eu fico aqui, querendo me envolver com outros caras e não consigo. Desisti. Não dá, simplesmente não dá. Eu posso me fazer de apaixonada mas nenhum deles me faz rir assim, como você faz. E jogo tudo para o alto, passo por cima do meu orgulho. Não vou mentir. Penso mesmo, penso em você. Não o dia inteiro, mas pelo menos quando eu vou dormir eu lembro de você. Tenho saudade de vez em quando, naqueles dias em que não nos encontramos. Faz falta. Sei que faz falta para você também. E para quê negar? Você não consegue, eu não consigo. A gente tenta, mas não dá. Você tenta ficar longe e não consegue e eu agradeço. Ele voltou, não conseguiu, ainda bem! No final do dia, você não acha que seria válido me abraçar? Todos os finais de dia, eu acho que o seu sono seria mais tranquilo se você me abraçasse. Assim como o meu. Depois de todo o stress do meu dia, no final, com o seu cheiro, as coisas ficariam mais tranquilas. Não perde seu tempo tentando negar, não, vem aqui e deixa bem claro quais são as suas vontades. Eu quero ouvir. E queria estar acostumada com o meu celular tocando e mostrando que é você ligando. Ou com o seu dedo na minha campainha e sua mão na minha cintura. E com o seu cheiro nas minhas roupas. Sei que você quer ouvir as minhas vontades também. Cansei de negar, de tentar parar, e você deveria fazer o mesmo. Desistir dessa negação. Me diz então, e se eu tocar gentilmente o seu rosto e confessar tudo para os seus olhos? Fala para mim, fala do que você tem vontade.

5 comentários:

  1. já tentei negar o amor... mas o danado insiste em aparecer.

    ResponderExcluir
  2. Do jeito que o negócio é forte, tanto faz se ele continuar negando, mais cedo ou mais tarde ele vai ter que aceitar (: e cara, eu fiquei muito com remorso de te deixar falando sozinha ontem :/ UHEUHEUHE

    ResponderExcluir
  3. você escreve perfeito demais! obrigada pelo elogio gabs, saudade suas :D

    ResponderExcluir
  4. Nossa aqui é incrivel!

    ResponderExcluir
  5. U-A-U! Preciso dizer mais?
    Adorei. Arrazou no texto!
    Me identifiquei um pouco, oq me fez gostar mais ainda.

    Beijinhos ;*

    ResponderExcluir